Cirurgia Laser

Cirurgia Laser

COMO SE PROCESSA O LASIK?

O LASIK é feito em cirurgia ambulatória sendo o olho anestesiado com gotas. Estas gotas podem causar ligeira sensação de ardor. Seguidamente, o aparelho de segurar as pálpebras é colocado com a finalidade de evitar que se pisque o olho durante a cirurgia.

Para evitar que o olho se mova, prende-se este com um anel que segura a córnea levantando-a e achatando-a. Neste instante, sentirá pressão no olho devido ao anel, causando semelhante sensação ao de um dedo a fazer pressão na pálpebra. A partir desde momento você deixará de ver até ao instante que o anel é removido.

O microqueratomo, que é um instrumento microcirurgico automático, é encaixado no anel, que depois de activado desliza sobre este.

Durante este processo ouvirá um zumbido resultante do pequeno motor do aparelho.

O microquerátomo pára de modo a que o Flap continue preso à córnea.

O complexo microqueratomo-anel é removido e o Flap é levantado. A partir deste momento, a córnea está preparada para ser trabalhada pelo Laser, que foi previamente programado para a sua prescrição e centrado sobre o olho.

Enquanto fixa a luz, o Laser esculpe a parte exposta da córnea, neste instante ouvirá o clicar do Laser. Depois do Laser ter modificado a forma da córnea o cirurgião coloca o Flap na posição original e alisa as margens. O Flap demora apenas dois a três minutos a aderir novamente.

O QUE FAZER ANTES DA CIRURGIA?

O oftalmologista antes de submeter à cirurgia irá efectuar análises exaustivas de modo a certificar-se que não possui nenhuma anormalidade que possa vir a afectar o resultado positivo da intervenção. Nomeadamente, exames que virão confirmar que o síndroma pós-operatório de olho-seco não ocorrerá e que não tem as pupilas demasiado grandes, o que poderia vir a causar futuros problemas de visão nocturna (halos).

O QUE FAZER DEPOIS DA CIRURGIA?

É normal que sinta um ligeiro ardor e comichão nas primeiras horas depois da intervenção, por isso planei ir para casa relaxar e se quiser, fazer uma pequena sesta.

Ser-lhe-ão dadas gotas que vão ajudar a cicatrizar e ao mesmo tempo aliviar o olho seco. A cicatrização depois do Lasik é, normalmente, mais confortável que outros métodos de cirurgia refractiva porque o Laser remove tecidos do interior da córnea e não os tecidos superficiais, que são mais sensíveis.

RISCOS, COMPLICAÇÕES E EFEITOS SECUNDÁRIOS

O Lasik, como qualquer outra cirurgia, implica riscos e complicações que devem ser cuidadosamente considerados. Como por exemplo, pode resultar em correcções que fiquem aquém da correcção esperada ou que ultrapassem a correcção esperada. Felizmente, estes problemas podem ser facilmente resolvidos como uso de óculos, de lentes de contacto ou sujeitando-se a uma cirurgia adicional. No entanto, só raramente a correcção excessiva é permanente.

A maioria parte das complicações podem ser tratadas sem qualquer perda de visão e a perda de visão permanente são extremamente raras. No entanto, há também um risco baixíssimo de que a sua visão fique pior depois da intervenção sem que seja possível remediar como uso de óculos ou de lentes de contacto. A isso dá-se o nome de perda de melhor visão corrigida.

COMO SERÁ A MINHA VISÃO DEPOIS DO LASIK?

É importante que qualquer pessoa que decida se sujeitar ao Lasik tenha expectativas realísticas. A intervenção permite efectuar as tarefas do dia a dia sem lentes correctivas.

A maior parte das pessoas que fazem Lasik alcançam algo como 20/20 ou 20/40 de visão sem óculos ou lentes de contacto. Se a sua correcção ficar aquém da correcção esperada o cirurgião pode decidir efectuar uma segunda intervenção com a finalidade de aperfeiçoar o resultado.

O Lasik não corrige presbiopias, ou seja, a perda da capacidade de focar objectos ao perto que é normal com o avançar da idade. Com ou sem cirurgia refractiva quase todas as pessoas ao chegar aos 40 ou 50 anos de idade, e mesmo com excelente visão à distância, terá de usar óculos para ler. Devido a esta situação há quem prefira que apenas um olho seja corrigido, deixando o outro olho ligeiramente míope. Deste modo, o olho que não foi corrigido servirá para melhorar a visão de perto enquanto que o outro é usado para a visão à distância. No entanto, existe uma pequena percentagem de pessoas que não se consegue adaptar, mas para isso existe a possibilidade de você poder experimentar esta condição usando lentes de contacto antes de se sujeitar ao Lasik.

QUEM É UM BOM CANDIDATO AO LASIK?

Qualquer pessoa que queira diminuir a dependência dos óculos ou das lentes de contacto é um candidato ao Lasik. Estilos de vida, actividades de lazer e a correcção prescrita são os factores que determinam se você é ou não um bom candidato.

O candidato ideal para Lasik tem de ter mais de 20 anos de idade, não estar grávida, não ter qualquer doença ocular, não ter nenhuma alteração na prescrição dos óculos no último ano, ter um erro refractivo que se enquadre dentro das possibilidades do Lasik e por fim estar consciente dos potenciais riscos, complicações e efeitos secundários.